1 ano de LAPSOS - BEDA 2017

24/08/2017

Dia 24
Also Known As "hoje vai ser uma feeeestaa, bolo e guaraná, muitos doces pra você"

Há exatamente um ano atrás eu decidi que já tinha passado tempo de mais querendo ter um blog. O Lapsos nasceu de um monte de vontades: de conhecer pessoas legais, de falar coisas na internet, de escrever mais, de ter um cantinho pra registrar minhas memórias, de fazer uso da minha pasta de gifs, de contar coisas aleatórias sobre mim e sobre minha vida pra pessoas que não me conhecem in real life e que não iam rir ou julgar e de colocar pra fora um monte de coisas que me habitavam.

www
Eu e o Lapsos (sim, pra mim ele é quase uma pessoa, por isso quase sempre eu escrevo no plural. Somos nós, eu e o menino Lapsos) já passamos por algumas fases e estamos quase sempre em crise. "Será que o conteúdo é bom? Eu deveria escrever pra mim ou pros outros? Layouts de uma coluna são tão bonitos... Mas eu queria ter uma sidebar pra colocar uns links... Será que esse nome é bom? Na verdade é um nominho bem bosta, né? Como será que eu tive essa ideia, mesmo? E se esse post estiver muito bad vibes? Acho que vou colocar um gif fofinho aqui pra quebrar esse climão."

No meio desse turbulhão, sobrevivemos. Não foi um mar de rosas, tão pouco deixou de ter lágrimas. Pra falar a verdade, estamos respirando por aparelhos na maior parte do tempo. E eu não sei mais o que dizer além de obrigada. Obrigada a todo mundo que gastou uns minutinhos da vida pra dividir sua opinião comigo nos comentários, que leu o que eu coloquei pra fora e entendeu, que se empolgou junto comigo quando discutimos alguns temas e que se dá ao trabalho de dar uma clicadinha aqui sempre que dá. Muito obrigada, de verdade.

Acho que já falei sobre isso aqui, mas eu sempre vou acabar escrevendo. Acho que nasci uma pessoa que escreve e não consigo fugir disso. Mesmo que eu não escreva bem e que eu deixe de fazer sentido mais da metade do tempo, escrever é o que eu faço e é o que vou continuar fazendo independente de ter ou não alguém do outro lado pra ler. Mas é TÃO gratificante quando esse alguém existe.

Acho que estou ficando velha, porque cada vez mais acho que o tempo está passando rápido. Um ano é muito tempo.

Obrigada por terem frequentado esse canto durante esses 365 dias. Espero que vocês continuem aparecendo.

Vejo vocês amanhã.

Um post pro menino que eu vi no ônibus - BEDA 2017

23/08/2017

Dia 23
Also Known As "eventualmente todo mundo tem um crush no transporte público"

Furei o BEDA nos dias 20, 21 e 22 por motivos de: eu estava morrendo. Meu pai teve uma intoxicação alimentar, depois minha mãe também teve e por fim a doença chegou em mim. Passei o domingo na posição horizontal e sem comer nada por medo de vomitar + preguiça de ir ao médico e passar por todos aqueles procedimentos quando tudo o que eu precisava era soro. Sim, um grande vacilo meu não ter procurado um hospital. Mas agora está todo mundo bem e devidamente hidratado (Gatorade, se vocês quiserem me patrocinar, estou aberta à propostas). 

O dia começou com tudo dando errado. Eu tinha planejado sair no carro, passar em um centro comercial, estacionar o carro na faculdade porque no horário da minha aula só tem vagas difíceis e eu não sei estacionar e ir trabalhar. Eis que o carro - o pivô de toda a programação do meu dia - resolveu pifar e eu saí correndo e atrasada pra tudo.

Entrei no ônibus praguejando todas as marcas de bateria pra carro, até que, em determinado ponto, um rapaz sentou do meu lado e começou a desenhar.

Aquilo me inspirou de um jeito tão forte, tão positivo, que eu mal consigo descrever.

Juro que o ar ficou mais puro e eu respirei melhor, consegui enxergar beleza na multidão de pessoas que se empurravam nas calçadas e nas buzinas enfurecidas dos motoristas apressados. Olhei pro rapaz, ele continuava desenhando, concentrado. O desenho não tinha nada a ver com os desenhos que eu fazia na época das aulas de artes: ele tinha um rabisco enfurecido, porém preciso, que ocupava todos os cantos da folha. A parte branca, não rabiscada, formava o desenho. A ausência virava presença em um simples toque da caneta no papel.

Imaginei como seria se ele me entregasse aquele desenho com o número dele rabiscado em um cantinho. Eu teria ligado, teria falado que o desenho era lindo e que aquilo tinha me inspirado. Contaria pra ele como aquilo melhorou o meu dia. E se ele fosse minha alma gêmea? Renderia uma boa história para contar nas reuniões de família.

Talvez eu tenha uma queda por caras barbudos que usam camisas xadrez de gosto duvidoso, talvez eu só tenha uma queda por caras que produzem arte de alguma forma, talvez eu só estivesse carente no meio de um dia ruim.

E aí eu desci do ônibus, assim como em todas aquelas tirinhas que aparecem na timeline do Facebook. Fiquei pensando na quantidade de amores que já perdi por medo de começar uma conversa.

Foto do projeto Last Night at the Bus Stop
Vejo vocês amanhã.

Prazer, Chandler Bing - BEDA 2017

19/08/2017

Dia 19
Also Known As "quase meia noite e ainda não tem post"

Uma das coisas que vocês não sabem sobre mim: eu tenho uma pasta de gifs no computador. Passei alguns bons anos recolhendo todo e qualquer trecho de série, filme, meme ou vídeo viral que me representa enquanto ser humano e colocando tudo dentro dessa pasta. Eis que hoje, às 23:00 e prestes a falhar em mais um dia de BEDA (e me culpar em excesso por isso), abri essa pasta à procura de um assunto, qualquer assunto, que rendesse um post.

E buscando por inspiração, percebi que mais da metade dos gifs que eu tenho sobre a série Friends são do Chandler Bing - e decidi fazer aquele post que metade da internet já fez: aquele em que a gente se dá conta de que somos Chandler Bing.

Chandler é aquele personagem que canaliza todas aquelas características idiotas que nós achamos que ninguém mais tem - quando na verdade todo mundo tem. Ele é a personificação daquele vídeo da Jout Jout em que ela fala que tá todo mundo mal, porque estamos todos mal mesmo.

Bom, pelo menos é o que eu acho. Então separei momentos do Chandler que me representam, porque vai que vocês são tão "todo mundo mal" quanto eu? 

QUANDO ELE FOI SINCERO DEMAIS




QUANDO ELE ACHOU QUE IA MORRER SOZINHO




QUANDO ELE CONTINUOU COMENDO



QUANDO ELE TENTOU ARRASAR E ACABOU PASSANDO VERGONHA




QUANDO ELE TEVE UM TRABALHO MUITO RUIM



E teve toda aquela história sobre ele ter que ir pra Tulsa, mas não achei nenhum gif sobre isso :(

QUANDO ELE NÃO SOUBE DIREITO O QUE DIZER 




QUANDO ELE FICOU DE SACO CHEIO




QUANDO ELE ESTAVA TÃO PERDIDO QUANTO TODOS NÓS


E esse foi mais um post do BEDA. Saiu atrasado? Saiu. Foi um post de qualidade? Não. Provavelmente foi tão ruim quanto 85% dos posts do BuzzFeed (por que a gente continua dando acessos pro BuzzFeed? Ninguém sabe. Mas eu continuo fazendo todos os testes que eles publicam). Mas eu realmente espero que ele tenha divertido você - o que ele ocupe um lugarzinho no BEDA. Pelo menos isso.

E sobre meus posts ruins.


Ou talvez regret, não sei.

Vejo vocês amanhã.